Nélio Bizzo Arquivos » Obrigado, Tik? (devemos mesmo agradecê-lo?)

7

ter

Obrigado, Tik? (devemos mesmo agradecê-lo?)

Categoria: Animais

Obrigado, Tik? (devemos mesmo agradecê-lo?)

Obrigado, Tik

Luis Fernando Veríssimo

(publicado em 05/11/2017, O Estado de São Paulo, pág C10)

O que será que ele queria? -Quem? -O Tik. -Que Tik?

-O Tiktaalik roseae. O peixe com patas que encontraram fossilizado no Canadá. O tal elo que faltava entre a vida primeva no mar e a vida animal na terra. Entre o peixe e o réptil e tudo que veio depois, incluindo você e eu.

A primeira prova definitiva de que uma espécie se transforma em outra. O que ele queria?

- Não queria nada. Evoluir não foi uma decisão sua. Aconteceu. De acordo com a teoria clássica da evolução, mutações aleatórias determinam a sobrevivência de uma linhagem. Uma li­nhagem de peixes simplesmente criou patas e por isso pode sair do mar e caminhar na terra.

-  Não, não. Não subiu à terra porque criou patas. Criou patas porque queria subir à terra.

-  Você acha que ele pensou “Chega de viver na água,, vou tomar um solzinho na praia e começar outra forma devida”? E criou as próprias patas?

-  Não. Mas alguma coisa o impeliu. Um prenúncio. Um plano inconsciente. Uma vontade misteriosa que fez com que a sua linhagem, através de miIhões de anos, desenvolvesse patas para pisar na terra. E ele, o Tik, desse o primeiro passo.

-  Não me venha com design inteligente.

-  Não. Não sei o que é esse ímpeto ou que nome tem. Seja o que for, a evolução não o explica. Nada o explica. O que ele queria? Tinha tudo que precisa va no mar. Era um predador de bom tamanho e dentes afiados, e tinha pes- coço. Podia olhar para trás, coisa que nenhum outro peixe pode. Portanto era um sucesso na cadeia de alimenta­ção. Mas quis abandonar tudo isso por uma aventura terrestre. Por quê?

- Está aí a sua resposta. Era um predador. Tinha o ímpeto do predador. Subiu à terra na busca de alimentos diferentes. Só queria uma dieta diversificada. Durante milhões de anos sua linhagem namorou os frutos da terra, sem poder alcançá-los. E era tanta a sua fome de novidades que ela acabou desenvolvendo os meios para ir pegá-los. É como a versão bíblica da Criação, a história da Eva e a fruta proibida. Adão e Eva também tinham tudo do que precisavam, estavam no Paraíso, mas queriam mais, queriam outra coisa. Como o Tik.

E a sua inconformidade também deu origem à humanidade, segundo a Bíblia. Fome e curiosidade, são as duas forças que movem o mundo. Fome e curiosidade são as responsáveis por tudo.Até pata em peixe.

-  O fato é que se o Tik não tivesse dado aquele primeiro passo toda a vida animal se desenvolveria no mar. Você e eu hoje teríamos guelras e nadadeiras em vez de membros.

-  E não poderíamos estar tendo esta conversa

-  Sei não. Dizem que os golfinhos conversam…

-  Mas não especulam, não têm teses, e não se maravilham como nós.

-  É verdade. Obrigado, Tik.

===============================================================================================

Vocês podem falar mais baixo, por favor?

-  Estamos falando muito alto?

-  Na verdade, o que dói são as bobagens, nem tanto o barulho.

-  Mas você está com fones de ouvido!

-  Botei só para não ouvir a conversa de vocês.  Mesmo porque aqui no Metrô o rádio não pega…

-  Mas que bobagens falamos? Você é um desses do design inteligente?

-  Já me agrediram o bastante com essa história de Adão e Eva, não precisa partir pra ignorância…

-  Ah bom… Mas qual foi a bobagem?

-  Essa história de finalidade! A evolução é, para decepção de nossa arrogância biológica, guiada por meras casualidades. Não é um campeonato gastronômico ou cognitivo.

-  Mas sem curiosidade haveria evolução?

-  O que os bilhões de bactérias do seu intestino querem saber?

-  Mas elas querem comer!

-  Mas elas não ficam batendo no prato, pedindo para você evitar alimentos sem fibras, como o pão na chapa da padaria. Elas soltam enzimas digestivas e ficam esperando pelo resultado. O estômago delas fica do lado de fora.

-  Então, por que o Tik saiu da água? Afinal, comer … comia bem…

-  O problema é colocar tudo como se tivesse ocorrido no aquário da sala de casa, durante um final de semana. Os ambientes mudaram dramaticamente, mas ao longo de milhões de anos. E, além do mais, ele não é um elo entre os peixes e répteis. Não confunda anfíbios com répteis.

-  O Tik tem jeitão de lagarto!

-  Lagarto sem escamas na pele úmida é salamandra, não é lagarto… Lagarto não bota ovo na água, como os peixes. E golfinho descende de mamíferos terrestres… Eles não evoluíram de répteis marinhos! O próprio Charles Darwin já havia previsto isso.

-  E você ficou falando do Tik com aquela intimidade, hein sabichão?

-  Ué, mas por que ele saiu da água então?

-  O ambiente abriu novas oportunidades e aqueles que as aproveitaram tiveram maior descendência. Ninguém ficou namorando os frutos da terra por milhões de anos. Naquela época a terra firme tinha florestas cheias de invertebrados. Já reparou que não há anfíbios nem escorpiões vegetarianos? São todos predadores. Essa é uma herança da história natural dos pioneiros da terra firme, onde havia comida à vontade.

-  Mas, então, por que ele não ficou na água?

-  Ora muitos ficaram, mas os que aproveitaram novas fontes de alimento, e provavelmente menor predação, e passaram a aproveitar o oxigênio do ar, se deram bem e tiveram muitos descendentes. Acharam um lugar do bem bom…

-  Pois é, o Mário Quintana dizia que o que move o mundo é a preguiça… Se não fosse ela, não tinham inventado a roda…

-  Ô Tik preguiçoso… Hei … Peraí!

-  Chegou minha estação. Tô atrasado.

 

Mais Populares

Ilhas Galápagos: o descobrimento do ícone do darwinismo

Categoria: Blog

Ilhas Galápagos: o descobrimento do ícone do darwinismo

Palestra “DARWIN e ARISTÓTELES: discutindo a relação” – II

Categoria: Blog

Palestra “DARWIN e ARISTÓTELES: discutindo a relação” – II

Esse site é validado pela W3C, desenvolvido de acordo com os padrões de conteúdo e acessibilidade.